(11) 97569-1373

Cidades

Festival Mix leva cultura à quase 400 mil pessoas

Evento organizado pelo Teatro Contadores de Mentira, de Suzano, apostou em recursos da Lei Aldir Blanc para beneficiar cerca de 100 companhias e gerar renda para mais de 300 pessoas

6 JAN 2021 - 11h:32 Por de Suzano
Lili Figueiredo se apresenta em trio Lili Figueiredo se apresenta em trio / Daniele Santana/Divulgação
Organizado pelo Teatro Contadores de Mentira, de Suzano, o Festival Mix alcançou quase 400 mil pessoas entre os dias 26 e 30 de dezembro. As atividades culturais realizadas neste período beneficiaram cerca de 100 companhias e geraram renda para mais de 300 pessoas, contemplando artistas independentes das mais diversas áreas. Os bons números fazem a coordenação pensar em outras ações do mesmo gênero para 2021.
 
A agenda proporcionou, com recursos da Lei Aldir Blanc, 40 horas de transmissão em vídeo. Foram atendidas 104 companhias, grupos, artistas independentes da cultura popular, do circo, do movimento LGBTQIA+ e da cultura negra. 

Os vídeos atingiram 370 mil pessoas com ações dos mais variados tipos, desde apresentações e performances de música, dança, teatro e literatura em formato pocket a debates e diversas manifestações da cultura popular e tradicional. 

Todos os conteúdos do Festival Mix foram gravados de acordo com as normas de segurança sanitária exigidas pela pandemia, no Cineteatro Wilma Bentwegna e Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU) Gardênia, em Suzano.

A produção contou com artistas e produtores culturais bem ativos na cena regional do Alto Tietê. Entre eles Daniele Santana, Manoel Mesquita Jr, Pamella Carmo, Samuel Vital e Silas Xavier, sob a coordenação do poeta e produtor cultural Math’eus Borges. 

Para K.iqui Calisto, ativista, membro do Contadores de Mentira e um dos nomes à frente da coordenação, produzir um evento como o Festival Mix, que “movimentou todas as esferas da produção cultural em apenas 20 dias”, exigiu “muito esforço, dedicação e cuidado extremo por conta da pandemia de Covid-19”. 

“Terminamos exaustas e exaustos, mas com a ideia de que esse ponto de encontro foi uma fusão de crenças e sonhos que nos alimenta o sentido de permanecer no caminho da construção da potência cultural, diversa e afirmativa”, diz ele, para na sequência agradecer com uma frase de Erika Hilton (vereadora em São Paulo pelo PSOL): “Estamos Vivas e Propositivas”.
O que vem por aí

“Compromisso pontual e necessário”, o Festival Mix foi desenvolvido especialmente para o uso dos recursos da Lei Aldir Blanc via edital municipal de Suzano. Embora reconheça a força da nova agenda, que “proporcionou toda uma atmosfera de possibilidades para produção e organização cultural”, o que o Teatro Contadores de Mentira espera, para 2021, é poder retomar outras iniciativas.

Sem poder neste momento adiantar o que vem por aí, os organizadores dizem que “o plano é desenvolver o que não foi possível” no último ano, devido ao isolamento social imposto pelo novo coronavírus.

Por enquanto, vale acessar tudo o que o Festival Mix produziu, já que os materiais estão ainda disponíveis no YouTube. Como o foco da ação é manter viva a “efervescência artística e cultural do Alto Tietê” a partir do “fomento da economia criativa” e da “geração de emprego e serviços para cultura dentro e fora da cidade”, segue ativo e gratuito o acesso à Cultura. 

Leia Também