(11) 4745-6900

Produtores rurais

Agricultores temem perdas com baixas temperaturas e risco de geadas em Suzano

Sindicato Rural prevê impacto do frio no preço das hortaliças

20 MAI 2022 - 05h:00 Por de Suzano
Agricultores temem perdas com baixas temperaturas e risco de geadas em Suzano Agricultores temem perdas com baixas temperaturas e risco de geadas em Suzano / Guynever Maropo/DS
Produtores rurais de Suzano temem que a temperatura fria possa impactar a produção das hortaliças. O Sindicato Rural prevê redução na produção de verduras e aumento do preço de produtos revendidos.  Outro temor é de que a geada chegue mais cedo na próxima semana.
 
Até agora, não ocorreram perdas na produção de hortaliças.  "A ventania prejudica normalmente os repolhos, brócolis e couve flor. Estraga as folhagens. Mas até o momento as plantas puderam ser recolhidas", explica o agricultor Cleiton Dias.
 
Na madrugada desta terça-feira, produtores temeram que a geada chegasse.  Evitaram regar as plantas para não “atrair a geada”.  O método que utilizam para evitar que as folhas estraguem é queimar pneus ou mato seco. A fumaça não deixa o gelo se instalar nas verduras. “Na entrada da chácara, beirando a rua, os plantios não sofrem com a geada. Mas onde está plantado perto do córrego é costume as plantas amanhecer com gelo”, diz.
 
Não há mudanças no plantio quando há geada, segundo eles. Todas as plantas são afetadas, como o alface, por exemplo.  “O frio queima as folhas. O sol forte não permite que cresçam”, afirma.
 
Uma das principais consequências da geada na lavoura são as perdas produtivas. Isso ocorre porque as temperaturas muito baixas provocam o congelamento dos tecidos vegetais e, consequentemente, a morte das plantas e de suas partes vitais "Torço para que não ocorra. Mas todo ano tem, é provável que aconteça nas próximas semanas se o tempo permanecer desse jeito. Espero não perder muito plantio", opina o agricultor Roberto Bispo, proprietário de uma chácara produtora de verduras.
 
De acordo com o presidente do Sindicato rural, Ricardo Sato Tsuchiya, esta semana todo o Estado sentiu a chegada da intensa frente fria. Os agricultores estão acostumados com estas condições climáticas e as consequências que geram. 
 
O clima frio trava o desenvolvimento das hortaliças e reduz a oferta para as próximas semanas. “Esta onda de frio impactará preços de hortaliças”, acrescenta.
 
As produções em escala devem ser protegidas. Há diversos métodos como o modelo de cultivo protegido, que são produzidos por estrutura de proteção plástica.
 
Normalmente são utilizados em cultivo por hidroponia, técnica de cultivar plantas sem solo, as raízes recebem uma solução nutritiva balanceada que contém água e todos os nutrientes essenciais ao desenvolvimento da planta, estas amenizam as perdas.
 
A maioria dos produtores utiliza a irrigação na véspera da ocorrência da geada, aumenta a umidade do solo e das folhas para que forme uma película hídrica de proteção. “Nos últimos anos na geada, as perdas dos cultivares foram acima de 40%, no caso de hortaliças em geral. As geadas ocorrem com temperaturas abaixo de 4,5 C°, os danos das hortaliças ocorrem nas folhas”, afirma.
 
As perdas são determinadas por condições climáticas locais. Próximo a represa há chance de amenizar a perda, se criar névoas, afasta a ocorrência depende do ecossistema local.

Leia Também