(11) 97569-1373

Lisandro perde partido, faz convenção e vai à Justiça para manter candidatura

Vereador se diz otimista com possibilidade de se manter na disputa eleitoral

15 SET 2020 - 22h:15 Por Daniel Marques - de Suzano
Realizou convenção e disputa na Justiça comando do partido Realizou convenção e disputa na Justiça comando do partido / Regiane Bento/Divulgação
O vereador Lisandro Frederico realizou ontem convenção da sua candidatura a prefeito de Suzano em meio à disputa na Justiça pelo comando do Avante, partido do qual está filiado para disputar as eleições. A polêmica teve origem após a executiva estadual do partido destituir a Comissão Provisória Municipal. Lisandro alega que não foi comunicado.
 
Ontem, o vereador se disse otimista com a candidatura. Ele usou outros casos semelhantes que ocorreram em Campinas e em Guarulhos neste ano, onde, segundo ele, as decisões tomadas pela Justiça foram favoráveis aos respectivos candidatos. “Trato isso com muita indignação, mas, ao mesmo tempo, com muita tranquilidade. Meu mandato sempre foi pautado por tentativas de golpe e logo que anunciei minha pré-candidatura, passei por tentativa de golpe na Câmara”, acusou Lisandro.
 
O vereador explicou que foi pego de surpresa com a decisão do Avante e disse que o partido deveria “preservar a democracia no País”. Para ele, a ação do Avante foi inconstitucional. “No último dia útil, antes do prazo de convenção, a gente se surpreendeu ao ver que a nominata do partido em Suzano foi substituída sem qualquer rito legal previsto na Constituição. Sem nem mesmo garantir os direitos individuais de um cidadão. Como nunca tivemos medo do embate, fomos para a discussão a fim de preservar o direito da população – o de fazer a escolha dos candidatos dela”, explicou o candidato.
 
Na convenção de ontem, Lisandro anunciou 29 nomes disponíveis pelo seu grupo para a disputa das cadeiras na Câmara. Quanto ao seu vice, o candidato disse que ainda não houve uma definição, mas que há dois nomes que “representam o suzanense”. São pessoas de confiança de Lisandro. A previsão é de que a escolha seja feita até o final do dia de hoje.
 
Pedido de liminar de vereador para seguir com comissão provisória é negado
 
Uma decisão do dia 14 de setembro, da Justiça Eleitoral, negou o pedido de “tutela antecipada” ajuizada pelo vereador Lisandro Frederico na tentativa de retomar a Comissão Provisória do Avante, em Suzano.

O vereador afirma que a destituição da Comissão Provisória do qual comanda foi feita de forma “sumária e às vésperas da convenção municipal para a escolha de candidatos, sem que fosse ‘oportunizado’ o direito ao contraditório e a ampla defesa”.
 
Na representação eleitoral, Lisandro afirma que a comissão provisória por ele presidida foi constituída para o período de 180 dias a contar de 17 de julho, “mas inesperadamente o presidente da representada (diretório estadual) comunicou-o acerca da dissolução em 28 de agosto, substituindo-a por nova comissão, com validade de 3 de setembro a 31 de dezembro”.

Segundo a representação de Lisandro, a mudança constitui violação ao Estatuto do Partido, bem como as garantias constitucionais. 

O juiz do caso afirma, em sua decisão, que “diante da complexidade da matéria, que necessita de mais elementos probatórios, faz-se necessária a ‘oportunização’ do contraditório antes da tomada de qualquer decisão. Não estando, pois, evidentes os requisitos para tanto, indefiro o pedido de tutela antecipada”.

O vereador vai continuar buscando a Justiça Eleitoral na tentativa de manter sua candidatura. Ele contratou o advogado Arthur Rollo, especialista em Direito Eleitoral, para cuidar do caso.

O DS tentou conversar com o novo presidente da Comissão Provisória do Avante de Suzano, Thiago Bianchi, que marcou para hoje, às 16 horas, a outra convenção do partido.

Mas, ele preferiu não falar com a reportagem afirmando que as informações seriam passadas pela executiva estadual.
O DS também não conseguiu respostas do Diretório Estadual do partido sobre o assunto.

Leia Também