(11) 4745-6900

Cidades

Suzanenses aprovam cancelamento do Carnaval e defendem cuidados sanitários para evitar proliferação da Covid-19

DS foi ao Centro da cidade - mais precisamente na Praça João Pessoa - para acompanhar a repercussão da decisão

30 NOV 2021 - 14h:18 Por Matheus Cruz - de Suzano
Suzanenses aprovam cancelamento do Carnaval e defendem cuidados sanitários para evitar proliferação da Covid-19 Suzanenses aprovam cancelamento do Carnaval e defendem cuidados sanitários para evitar proliferação da Covid-19 / Secop/Divulgação
A população de Suzano está de acordo com a decisão da Prefeitura em cancelar o Carnaval de 2022 na cidade. A medida tem por objetivo garantir o cumprimento dos protocolos sanitários contra a Covid-19 e foi tomada após estudo técnico da Secretaria Municipal de Saúde junto ao Comitê Municipal de Enfrentamento ao Coronavírus.
 
Nesta segunda-feira (29) o DS foi ao Centro da cidade - mais precisamente na Praça João Pessoa - para acompanhar a repercussão da decisão. Apesar da polêmica, a medida foi bem recebida entre seis entrevistados.
 
Segundo o aposentado José Martins, 74, a decisão foi acertada, já que vai evitar que mais pessoas saiam às ruas e ajudem a aumentar o índice de contaminações pelo vírus.
“Foi uma decisão acertada. As pessoas não respeitam muito bem as ordens, então a alternativa é cancelar. Ao menos você consegue evitar mais contaminação e mais mortes”, disse.
 
A opinião é compartilhada com o gastrólogo Márcio Oliveira, 42. Além de considerar adequada a suspensão, ele lembra do surgimento de uma nova variante do Sars-Cov-2, que causa Covid e foi batizada como ômicron.
 
“Está tudo muito incerto ainda. Eu defendo o Carnaval, mas desde que seja em um momento de tranquilidade e não de desconfianças. Que seja realmente para comemorar, e não para ficar com o pé atrás”, disse.
 
A autônoma Lariane Estefani, 23, também concorda com o cancelamento. Além dos riscos, a suzanense classifica os riscos de crianças serem contaminadas, visto que ainda não foram vacinadas contra a Covid.
 
“Na verdade, seria um risco a mais que todos iríamos correr. As crianças nem foram vacinadas, imagine colocar elas em risco por isso”, questiona.
 
De acordo com o aposentado Mauro da Silva, 62, o Executivo agiu de forma responsável. “É a responsabilidade do Poder Público. Se libera e enche os hospitais a culpa é deles, então não teria sentido liberar. Foi uma decisão acertada”, disse.
 
A costureira Cláudia Rosa, 52, também é a favor do cancelamento do Carnaval. Considerando o risco de uma nova onda, ela ainda sente o impacto do início da pandemia, quando passou por momentos difíceis. “Lembro que tudo começou logo depois do Carnaval. Então é importante que todo o necessário seja feito para evitar novas ondas. Eu sou completamente a favor”, disse.
 
O vendedor Rodrigo Vieira, 30, também relata a importância da medida. Apesar de entender a relevância do Carnaval, ele lembra dos cuidados a serem mantidos. “Ainda não saímos totalmente da pandemia, não tem porque comemorar. Muitas famílias ainda choram pela morte de entes queridos. Também apoio o cancelamento”, disse.
 
Cidades
 
Outras cidades da região também optaram pelo cancelamento. Além das questões pandêmicas que exigem a continuidade dos protocolos sanitários serem seguidos, as administrações municipais somam as questões financeiras como motivos para o cancelamento.

Leia Também