(11) 4745-6900

Jorge Lordello

Demônio ou anjo, qual você coloca para fora?

10 FEV 2021 - 05h:00
Um cavalo estava amarrado a uma árvore. Um demônio veio e o soltou. 
O cavalo entrou na horta de camponeses vizinhos e começou a comer tudo. 
Quando a mulher do dono da horta viu aquilo, pegou um rifle e matou o animal. 
O dono do cavalo ficou tão enraivecido que também pegou seu rifle e atirou contra a mulher. 
Ao voltar para casa, o camponês encontrou a mulher morta. Enraivecido, matou o dono do cavalo. 
Os filhos do dono do cavalo, ao verem o pai morto, queimaram a fazenda do camponês. 
O camponês, em represália, os matou. Aí, perguntaram ao demônio o que ele havia feito e ele respondeu: “Não fiz nada, só soltei o cavalo”. 
Não sei se o leitor acredita em demônios, mas, provavelmente, acredita em maldades. 
Não podemos duvidar da chamada lei da causa e efeito. 
Se alguém lança uma bondade, a tendência é receber ação na mesma vibração. O mesmo ocorre quando se prejudica ou se deseja mal a alguém. 
Portanto, devemos tomar muito cuidado com o que fazemos para os outros, pois a lei do retorno não costuma falhar. 
Observo muita gente com postura vitimista, que mais parecem poços de lamentações. 
Se posicionar como vítima de nada ajuda, assumir carga violenta de culpa não leva a lugar nenhum, muito pelo contrário, só piora tudo.
O melhor caminho é sempre assumir responsabilidade por tudo que acontece de bom ou de ruim. 
Se não está satisfeito com os resultados, é melhor mudar suas atitudes, ter nova postura observando sempre a energia que está emanando.