(11) 97569-1373

Jorge Lordello

Só cobre dos outros aquilo que você támbem oferece

28 JUL 2020 - 23h:59
Quando criança na escola, vivia brigando com meus amiguinhos por causa de brinquedos e o que mais me chateava era o Pedrinho. 
Ao chegar em casa eu ficava narrando todos os problemas que tinha passado para minha mãe. Certa vez ela disse: "Vai buscar a sua balança e os blocos". Resolvi retrucar: "Mas, o que tem isso a ver com o Pedro?". 
Minha mãe fez cara de poucos amigos e fui fazer o que ela tinha mandado e trouxe a balança e os blocos. 
Então ela continuou: " Primeiro vamos colocar neste prato da balança um bloco para representar cada defeito do Pedrinho. Conte-me quais são". Fui relacionando um a um e certo número de blocos foi empilhado daquele lado. A mãe disse em seguida: "Quero que enumere agora as qualidades dele. Cada uma delas será um bloco no outro prato da balança". 
Concordei e passei a mencionar o que havia de bom no caráter de meu amiguinho. Ela foi colocando os blocos do outro lado. 
De repente eu percebi que a balança oscilava. Mas vieram outros e outros blocos em favor do Pedro. 
Dei uma risada e mamãe observou: "Você gosta do Pedrinho e ficou alegre por verificar que as suas boas qualidades ultrapassam os seus defeitos. 
Isso sempre acontece, conforme você mesmo vai verificar ao longo de sua vida". 
Amigo leitor essa pequenina estória tem profundo ensinamento para a vida de todos nós. 
Antes de julgar uma pessoa pese na balança os pontos positivos e negativos daquele que está momentaneamente te chateando. O resultado da balança é um super indicador se você deve aprofundar, continuar, afastar ou até mesmo terminar a amizade. 
Simples assim! Mas não esqueça também colocar nos pratos da mesma balança pontos fortes e ruins de sua postura com os outros. Alerto que não é justo cobrar dos outros, aquilo que você não oferece. 
Esse resultado puramente matemático e comparativo pode nortear sobre o que você está precisando melhorar e que tipo de gente pretende manter perto de suas relações afetivas. 
E só cobre dos outros, aquilo que você também está acostumado a oferecer.