(11) 4745-6900

Suami Paula de Azevedo

Vê, Estão Voltando As Flores

27 NOV 2021 - 05h:00

Levantei cedo. Deve ser a idade, como me disseram, a gente dorme menos. É possível. Fiz o cafezinho. Tomei. Fui olhar na janela. Coisa de aposentado?
Umas andorinhas malucas passavam em alta velocidade.
Lembrei de uma música, uma marchinha, “Estão Voltando as Flores”, composição do Paulo Soledade, coisa lá de 1961, sessenta nos, vai bem? Era cantada por Dalva de Oliveira, mas, bem depois também por Emílio Santiago. Você não conhece nenhum dos dois? Verdade, outras gerações. Foi sucesso. Letra curta, fui lembrando, veja só:
“Vê, estão voltando as flores/ Vê, nessa manhã tão linda/ Vê, como é bonita a vida/ Vê, há esperança ainda//
Vê, as nuvens vão passando/ Vê, um novo céu se abrindo/ Vê, o sol iluminando/ Por onde nós vamos indo”.
Tomei mais uma xicarazinha de café. Desculpe, mas não sou de usar a tal brasilidade da “xicrinha”. Caramba, ao ler isso o meu Geriatra já vai me mandar mensagem: “Reduz o café!” tá bom, não devia ter falado nisso, estimulando alguém.
E as andorinhas não param. Verdade, elas animam a nossa Primavera, quando vão chegando, e animam até o Verão.
Pois é, daqui a pouco entramos no nosso Verão. E logo nos chegam as águas de Janeiro até Março, não é mesmo? E quem puder vai correr até o mar.
Estava recolhendo uns poemas para um novo livro. E dei-me conta de que tinha muitos escrito sobre essa minha especial ligação com o mar. Dá bem para montar um livro.
Deixo chegar uns versos:
“Acenos sobre o Mar”:
“quando o seu sorriso/ abre-me o branco das certezas/ sei que estão chegando as manhãs/ serão novamente os acenos/ das gaivotas sobre o mar/ voltarão os barcos do oceano//
espalha a manhã pelo ar”
Os dias continuam cheios. Quem reduz os entremeios? Vamos contribuindo com nosso tempo, com nosso andar pelos caminhos. Seguimos mirando adiante o que a luz nos mostrar. Logo tenho de levar a Pipoca para a tosa dela. Os dias mais quentes tem suas exigências sobre nós. E temos de fazer compras. Quem pode, que escolha o que vai usar. Temos um bom tanto de limites, redução de salários. A pandemia também não nos deixa ultrapassar.
Como retomar meus alongamentos? Não consigo fazer trilhas pelas ruas, a multidão que circula vai e vem sem parar, será que tem direção? Qual é o caminho? Cuidados de segurança na higiene, sem se contaminar exigem nossa atenção. 
Os ipês já se fazem bem verdes. E com sua sombra protegem todo lugar. Já vemos por aí o tanto das quaresmeiras que se abrem coloridas pela meia-estação. 
Tenho um tanto de livros para ler. Especialmente para reler. E você? Já separou o que lhe interessa? Pediu emprestado? Vai fazer um resumo, comentários? É para trabalho? Ou lazer? Sabe que tem de curtir? Verdade, um livro tem de nos encantar. Mesmo que seja obrigação. Senão algo foi atravessado pelo seu caminho. 
Depois ouve um CD que você gosta. Acompanha um vinho? Uma cerveja? Você escolhe. Só pra relaxar. Sabe que amanhã tem mais...