(11) 4745-6900

Cultura

Suzanense ingressa na companhia canadense Ballet Edmonton

Samuel Ramos, de 22 anos, morou no bairro Parque Maria Helena

7 JUN 2022 - 14h:18 Por Guynever Maropo - de Suzano
Suzanense ingressa na companhia canadense  Ballet Edmonton Suzanense ingressa na companhia canadense Ballet Edmonton / Divulgação
O suzanense Samuel Ramos, 22, se mudou, há dois anos e meio, para o Canadá ao ganhar bolsa de estudos na Coastal City Ballet. Foi selecionado para participar da Companhia Ballet Edmonton, em Alberta, como bailarino. 
 
Ele nasceu em Suzano e morou no bairro Parque Maria Helena. Caçula de quatro irmãos mais velhos, desde pequeno, foi incentivado pelos pais a dançar e frequentava escolas de danças. Aos 8 anos ganhou uma bolsa na Escola Livres Para Dançar, onde permaneceu por 10 anos e se formou em 2018 nas artes contemporâneas. “Nunca foi fácil chegar onde estou. Vim de uma família de baixa renda. Felizmente ganhei a bolsa aos 8 anos que fez eu persistir no meu sonho”, conta o bailarino.
 
No ano de 2019, Samuel ingressou na escola Anacã Studio de Dança, em São Paulo praticava aula de jazz e dança Contemporânea. Nestes anos de estudos, sempre participou de diversos festivais e competições de danças que sorteavam bolsas de estudos para o exterior. Na cidade de Marília participou de um campeonato onde conquistou a bolsa integral na Coastal City Ballet no Canadá. Sem ter condições financeiras, começou a vender doces e salgados, rifas e bingos até ‘vakinha’ on-line para conseguir o dinheiro da viagem.
 
Atualmente faz dois anos e meio que se mudou para o Canadá. Quando o bailarino chegou no país, contou que foi em busca de emprego para manter o custo da sua acomodação e alimentação.
“Trabalhei lavando pratos em restaurantes, como garçom, faxineiro. Independente do serviço eu fazia para conquistar meu sonho”, diz.
 
Participou de diversas audições para companhias de dança e recebeu inúmeras respostas negativas. Até que recentemente fez a seleção para a companhia Ballet Edmonton e recebeu uma resposta positiva. “Em breve vou me mudar para Alberta e ser reconhecido pelo trabalho que escolhi é um sonho se tornando realidade”, afirma.
 
Samuel Ramos conta que sente falta da sua família e pretende no próximo ano fazer uma visita. “Estou guardando dinheiro para visitar eles, sinto saudade todo dia. Sou uma pessoa ligada a família”, conta. Ainda, ressalta que não pretende voltar a morar no Brasil porque sua profissão não é reconhecida como um trabalho de renda fixa. “O Canadá é um país que preza pela segurança dos seus cidadãos e têm uma cultura totalmente diferente do Brasil. Além disso, valorizam meu trabalho e sou reconhecido por tal”, conclui.

Leia Também