(11) 4745-6900

Cultura

Teatro Contadores de Mentira recebe espetáculo presencial nesta quinta-feira

Obra conta a vida do compositor Noel Rosa em flash back

16 DEZ 2021 - 14h:16 Por de Suzano

O Teatro Contadores de Mentira, que fica no Parque Maria Helena – Suzano, recebe nesta quinta a peça Noel Rosa, O Poeta da Vila e Seus Amores, em única apresentação.

A obra conta a vida do compositor em flash back e teve bilheterias esgotadas em todas suas temporadas, estará no dia 16/12 às 20h no Teatro Contadores de Mentira. Com texto de Plínio Marcos e direção de Dagoberto Feliz, a peça passeia pela história de Noel Rosa, traz diversas músicas de sua carreira e convida o público a entrar no clima dos botequins cariocas, ambientes favoritos do cantor.

Um Noel Rosa moribundo, que se coloca a recordar os grandes momentos de sua vida é o fio condutor para o espetáculo musical, que narra em forma não linear os fragmentos da história do compositor. Mulheres como a mãe de Noel, as damas que abalaram seu coração e suas intérpretes favoritas, Araci de Almeida e Marília Batista, protagonizam uma espécie de delírio, que recria o clima boêmio da era do rádio, dos grandes carnavais e cabarés típicos dos redores dos Arcos da Lapa.

Os dados históricos que compõem o espetáculo servem de apoio para falar de um Noel Rosa pessoa e não do mito musical. O roteiro da peça parte de texto originalmente escrito por Plínio Marcos. Contudo, para levar a peça para um caminho mais fantasioso, algumas cenas foram ambientadas em locais diferentes dos propostos pelo dramaturgo.

Composto por atores e músicos, o espetáculo tem 90 minutos de duração e 12 pessoas no elenco. “Gosto de atores que cantem e músicos que representem. O trabalho acaba não ficando complexo quando essas diferenças de formação são consideradas só tecnicamente e não na encenação em si”, afirma o diretor Dagoberto Feliz, que acredita que encenar engloba todas as áreas sem distinção.

Com foco especial em canções que marcaram a carreira do compositor e cronista brasileiro, a montagem músico-teatral busca um caminho de maior interação com o público. “O espetáculo busca fazer com que o público se sinta quase que nos bares e locais em que Noel Rosa transitou, numa aproximação ‘fantástica’ do universo boêmio”, conta Dagoberto.

Por todo o espaço cênico são espalhadas mesas e cadeiras, nas quais os espectadores são convidados a se acomodarem e a degustarem quitutes e bebidinhas. Nasce, então, um cenário de botequim ou cabaré, que envolve atores e público no mesmo universo de nomes como o radialista Casé e o sambista Wilson Batista – figuras que emolduram o Rio de Janeiro da década de 30.

A obra será em formato presencial, mas contará com ingressos restritos, devido aos protocolos de cuidado em relação à pandemia de Covid 19. Além dos ingressos reduzidos, o espaço exige o uso de máscara e apresentação da carteira de vacinação com as duas doses.

Leia Também