(11) 4745-6900

100% nacionais

8 JAN 2022 - 05h:00

Uma notícia publicada ontem pela Agência Brasil traz uma grande esperança na luta para conter a contaminação da Covid-19 no País.
A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a inclusão na fabricação da vacina contra Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) com o Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) nacional. 
A publicação está na Resolução RE 35/2022 da Gerência Geral de Medicamentos da Anvisa, desta sexta-feira (7) no Diário Oficial da União. 
A notícia é importante porque, na prática, a decisão conclui o processo da Fiocruz para que o Brasil tenha uma vacina 100% nacional, com todas as etapas de produção realizadas no Brasil.
As vacinas contra a Covid-19 têm sido fundamentais para salvar vidas, reduzir internações pela doença e garantir segurança à saúde da pessoa.
A vacina contra Covid-19 oferecida pela Fiocruz será produzida com todas as etapas realizadas no Brasil com o IFA nacional. Para essa decisão, a Anvisa avaliou os estudos de comparabilidade. Ou seja, ocorreu uma comprovação importante da necessidade e segurança do imunizante.
Estes estudos demonstram que, ao ser fabricada no País, o insumo mantém o mesmo desempenho que a vacina importada.
Em maio de 2021 a Anvisa já havia feito a Certificação de Boas Práticas de Fabricação do novo insumo, o que garante que a linha de produção cumpre com todos os requisitos necessários para a garantia da qualidade do IFA. Desde então a Fiocruz vinha realizando a produção de lotes testes para obter a autorização de uso do IFA nacional na vacina Covid-19 (recombinante).
Com a decisão desta sexta-feira (7) a transferência de tecnologia feita pela Fiocruz e que teve início ainda no ano passado foi concluída. A vacina está autorizada no Brasil desde 17 de janeiro de 2021 e recebeu o registro definitivo em 12 de março de 2021.
É importante que as pessoas continuem se vacinando. A ciência já garantiu a eficácia dos imunizantes e sua importância no combate ao coronavírus.
A capacidade que o País terá de produzir sua própria vacina dá autonomia para que mais pessoas sejam beneficiadas com a proteção que poderá salvá-las deste doença que ainda continua no mundo. 

Leia Também