(11) 4745-6900

Alerta sobre a falta de água

8 OUT 2021 - 05h:00

O DS trouxe, na edição de ontem, reportagem que alerta sobre a possibilidade de desabastecimento de água nas cidades da região. Nas últimas semanas, o sistema de represas da região vem caindo diariamente com a perda do volume de água acumulada.
O clima seco contribui para isso. As represas utilizadas para fins de abastecimento público tem a finalidade de acumular água no período chuvoso ou úmido para ser utilizada no período seco ou de estiagem, permitindo o fornecimento de água para a população ao longo do ano. 
As represas também possuem um papel fundamental no controle das cheias, pois, no período de fortes chuvas, retêm parte da vazão que chegaria aos rios, córregos e centros urbanos, armazenando ou liberando os volumes de água aos poucos, de forma controlada, evitando ou reduzindo o impacto de inundações. 
Na Região Metropolitana de São Paulo a fonte principal utilizada para abastecimento público é a água armazenada em barragens ou represas.
No Interior de São Paulo é comum o uso da água de poços profundos provenientes de mananciais subterrâneos que também inspiram proteção e cuidados.
Na edição de ontem, o DS mostrou que o Ministério Público (MP) de São Paulo encaminhou um ofício às cidades da região que integram o Sistema Alto Tietê de represas, alertando sobre um "sério risco de desabastecimento e surgimento de nova crise hídrica, com consequências ainda imprevisíveis" e instaurando um "procedimento administrativo de acompanhamento" da situação dos reservatórios.
A informação preocupa. A Sabesp deve tomar providências. Ontem mesmo garantiu que não há risco de falta de água na região.
O documento, no qual o DS teve acesso, foi emitido pelo Núcleo VIII - Cabeceiras do Grupo de Atuação Especializada em Meio Ambiente (Gaema) e assinado pela promotora Joana Franklin de Araújo. O MP encaminhou a oito cidades da região, ao Serviço Municipal de Águas e Esgotos (Semae) de Mogi das Cruzes e à Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).
Responsável pelo abastecimento de 3,1 milhões de moradores de bairros da zona leste de São Paulo, o Sistema Alto Tietê inclui os municípios de Suzano, Itaquaquecetuba, Arujá, Ferraz de Vasconcelos e Poá. O complexo também abastece parte de Mauá, Santo André, Mogi das Cruzes e Guarulhos – municípios permissionários que compram água por atacado da Sabesp.
O sistema é formado por um conjunto de barragens com reservatórios interligados destinados ao controle de vazão do Rio Tietê; combate às inundações; abastecimento público da Grande São Paulo; irrigação do cinturão verde de Mogi das Cruzes. Dele fazem parte os reservatórios Ponte Nova e Paritinga, no município de Salesópolis, e de Jundiaí e Taiaçupeba, em Mogi das Cruzes. Pelos números é possível entender a importância do Sistema Alto Tietê.

 

Leia Também