(11) 97569-1373

Ampliação de ciclovias

6 NOV 2020 - 05h:00
Área destinada estritamente a circulação de bicicletas, a ciclovia é um espaço utilizado por pessoas que utilizam este meio de transporte diariamente, ou apenas aos finais de semana. A primeira ciclovia surgiu no ano de 1862. A Prefeitura de Paris separou um espaço específico para as bicicletas, para que estas não transitassem junto as carroças e charretes.
Na edição de ontem, o DS trouxe reportagem mostrando que a ciclovia instalada na Avenida João Batista Fitipaldi, que se inicia na altura do Parque Maria Helena, em Suzano, foi aprovada pelos ciclistas que costumam trafegar pela via. No entanto, os ciclistas pedem por mais quilometragem após a ponte sobre o Rio Tietê, no Jardim Revista, onde acaba a ciclovia. A outra reivindicação é com relação aos pedestres que dividem o espaço com os ciclistas. 
Segundo especialistas, as ciclovias são importantes. Existem três tipos, cada qual é caracterizada pelo tipo de tráfego. No Tráfego Compartilhado os automóveis e bicicletas circulam livremente entre as faixas. Na ciclofaixa existe uma faixa específica para o tráfego de bicicletas, porém o trânsito é integrado, há somente um separador. Na ciclovia a bicicleta possui uma área totalmente separada e independente do tráfego de veículos, pode ser em um ou em dois sentidos. Um dado interessante constatado na Irlanda no ano de 1970, com relação a utilização de ciclovias, na qual houve redução de 50% no número de acidentes envolvendo ciclistas.
Na manhã de terça-feira o DS esteve no local e entrevistou ciclistas que utilizam o espaço. Eles reforçaram a ideia de aumentar a ciclovia e a instalação de uma calçada, para evitar acidentes com os pedestres.
A Secretaria de Planejamento Urbano e Habitação informou que a ciclovia está projetada para a quantidade de ciclistas. Com relação ao uso por parte de pedestres, a pasta afirma que "como há passeio público (calçadas) nos dois lados da avenida, o espaço da ciclovia já foi projetado para uso dos ciclistas. Por isso, a Secretaria de Transporte e Mobilidade Urbano vai reforçar a sinalização na ciclovia, com o objetivo de conscientizar os pedestres sobre o uso adequado tanto deste espaço quanto das calçadas na avenida".
Ao se tratar da Ponte sobre o Rio Tietê, a Secretaria do Planejamento Urbano e Habitação reforça que existe a necessidade de um estudo mais detalhado, visto que existe um estreitamento por causa do tamanho da ponte.
A ciclovia possuí 1,7 quilômetro de extensão com pavimento asfáltico no canteiro central. A obra foi entregue no ano passado e entregue juntamente com a obra de recapeamento da Avenida João Batista Fitipaldi.
Portanto, as ciclovias são importantes também por serem outras formas de acesso.

Leia Também