(11) 97569-1373

Campanha de multivacinação

17 OUT 2020 - 05h:00
Hoje será um dia muito importante. Trata-se do Dia D da Campanha de Multivacinação e Vacinação contra a Poliomielite.
Em Suzano, a campanha será realizada em todas as 24 Unidades Básicas de Saúde (UBSs) e de Saúde da Família (USFs). Os postos da rede municipal funcionarão durante a mobilização especial no período das 8 às 17 horas. É necessário apresentar a caderneta de vacinação.
Sem dúvida uma campanha muito importante em meio a um ano muito complicado por conta da Covid-19. Ainda que não seja a vacina contra a doença, é importante que as crianças sejam imunizadas nesta campanha de hoje.
Para a imunização contra a poliomielite, o público-alvo são todas as crianças menores de cinco anos. O município recebeu 8 mil doses da Secretaria de Estado da Saúde apenas para o Dia D. A meta é alcançar 95% de cobertura até o final da campanha, em 30 de outubro. 
Para a multivacinação, o objetivo é atualizar a caderneta de crianças e adolescentes de até 15 anos por meio das vacinas que forem necessárias já disponíveis nos postos de saúde e que compõem o calendário básico.
Até quinta-feira, pelo menos 1.389 doses contra a poliomielite haviam sido aplicadas na cidade desde o início da campanha, em 5 de outubro. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, a vacinação é a única forma de prevenção contra a poliomielite. Desde 2016, o esquema vacinal passou a ser de três doses injetáveis – VIP (2, 4 e 6 meses) e mais duas de reforço com a oral bivalente – VOP (gotinha). A mudança está de acordo com a orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS) e faz parte do processo de erradicação da poliomielite.
Já em relação à multivacinação, para atualização da caderneta, houve o comparecimento de 2.022 crianças e adolescentes também até esta quinta-feira, sendo que 1.092 precisaram ser imunizadas (54%).
Vacinas são substâncias que possuem como função estimular nosso corpo a produzir respostas imunológicas a fim de nos proteger contra determinada doença. Elas são produzidas a partir do próprio agente causador da doença, que é colocado em nosso corpo de forma enfraquecida ou inativa. Apesar de não causar a doença, as formas atenuadas e inativas do antígeno são capazes de estimular nosso sistema imunológico. Quando nos vacinamos, apresentamos ao nosso corpo um antígeno até então desconhecido. O corpo passa, com isso, a produzir anticorpos contra ele. Nesse primeiro momento, a produção de anticorpos é relativamente lenta. Além da produção de anticorpos, o organismo produz células de memória, ou seja, células que, ao serem expostas novamente ao mesmo antígeno, serão capazes de produzir anticorpos mais rapidamente.

Leia Também