(11) 4745-6900

Déficit na Saúde

30 MAR 2021 - 05h:00
A falta de leitos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para atender o número crescente de pacientes com quadros de Covid-19 não é o único problema grave enfrentado pelos hospitais.
O DS trouxe na edição de domingo que existe uma falta grande de trabalhadores da saúde nas cidades da região.
Só para se ter uma ideia, o Sindicato dos Trabalhadores da Saúde (Sindsaúde) estima que faltam, pelo menos, 300 trabalhadores no setor. Um dado muito preocupante.
Há, portanto, uma grande preocupação com a escassez de profissionais qualificados para atuar, principalmente, nas UTIs.
O DS mostrou que com o agravamento da pandemia e o aumento no número de pessoas infectadas pela Covid-19, a demanda para atendimento nos hospitais do Alto Tietê também está crescente. 
Segundo a diretora regional do Sindsaúde, Kátia Aparecida dos Santos, o número de profissionais da saúde, como médicos, enfermeiros e auxiliares teve queda significante nos últimos meses. Até o ano passado, a entidade registrava o número de pelo menos 4 mil trabalhadores públicos da saúde na região. Neste momento, são cerca de 3,7 mil.
Contratar e manter equipes nos hospitais estão sendo os principais entraves na corrida para abrir mais leitos de UTI Covid-19 no novo avanço da pandemia no Paraná. 
Tanto que alguns hospitais já enfrentam dificuldade em fechar escalas de trabalho, em especial plantões, uma situação agravada pela falta de profissionais de saúde disponíveis no mercado.
Além da necessidade de profissionais qualificados, o que não é fácil de ser encontrado no mercado, principalmente para atuar em UTIs, os afastamentos de médicos, enfermeiros e outros profissionais impacta justamente no momento em que a demanda do sistema de saúde cresceu muito. Os profissionais de saúde estão em seus limites físicos e emocionais. Afastamentos decorrentes da Covid-19 são necessários aos que adoecem nas equipes.
No Alto Tietê, para tornar o quadro adequado, pelo menos 300 profissionais deveriam ser contratados. 
Na semana passada, o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) anunciou o reforço de novos 60 leitos para o hospital Dr. Arnaldo Pezzuti, em Mogi das Cruzes.
A iniciativa foi possível através de uma parceria com o Governo do Estado, e vai possibilitar a abertura de 30 leitos de UTI e 30 de enfermaria, totalizando 90 leitos na unidade hospitalar destinados ao tratamento da Covid-19.
Para atuar nestes novos leitos, cerca de 70 profissionais entre médicos, auxiliares, enfermeiros e técnicos já estão em atuação no hospital. A diretora regional do Sindsaúde, destacou que o número ainda é insuficiente, mas é de extrema importância.
De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, a região do Alto Tietê ainda conta com a abertura de leitos no Hospital Santa Marcelina de Itaquaquecetuba que já saltou de 2 para 10 os leitos de UTI e de 16 para 20 de enfermaria neste mês.

Leia Também