(11) 97569-1373

Em busca da vacina

30 DEZ 2020 - 05h:00
O DS trouxe reportagem, na edição de ontem, mostrando que Suzano tem um “Plano B” para a campanha de vacinação contra a Covid-19.
A reportagem mostrou que o prefeito Rodrigo Ashiuchi (PL) disse que a cidade enviou uma carta de intenção para o Instituto Butantan, manifestando interesse em adquirir doses da CoronaVac para aplicar na população. 
Uma iniciativa que pode contribuir para apressar a possibilidade de vacinação entre a população da cidade.
Quem não se vacina não coloca apenas a própria saúde em risco, mas também a de seus familiares e outras pessoas com quem tem contato, além de contribuir para aumentar a circulação de doenças.
Especialistas afirmam que tomar vacinas é a melhor maneira de se proteger de uma variedade de doenças graves e de suas complicações, que podem até levar à morte.
A maioria das doenças que podem ser prevenidas por vacina é transmitida pelo contato com objetos contaminados ou quando o doente espirra, tosse ou fala, pois ele expele pequenas gotículas que contém os agentes infecciosos. Assim, se um indivíduo é infectado, pode transmitir a doença para outros que também não foram imunizados.
A possibilidade da aquisição da vacina por Suzano faz parte do chamado “plano B” da Prefeitura, que inclui a aquisição de 40 mil a 50 mil doses da vacina só para Suzano.
Ashiuchi revelou, durante o DS Entrevista, que o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) também encaminhou uma carta ao instituto. A ideia é de comprar vacinas em bloco para todo o Alto Tietê.
O chefe do Executivo suzanense conta com a ajuda do governo federal e do governo do Estado, que devem ceder vacinas para as cidades da região. Mesmo assim, a Prefeitura de Suzano e o Condemat vêm se articulando para garantir a vacinação em massa.
Suzano tem expectativa de 40 mil a 50 mil doses. Mas, para que esse número se concretize, o valor terá que ser o mesmo já usado como base pelos prefeitos: o de US$ 10 (dez dólares, ou cerca de R$ 53).
Já há um plano de vacinação sendo elaborado para Suzano, que inclui aplicações em sistema drive-thru e prioridade para idosos e profissionais da linha de frente. Segundo Suzano, a ideia é de imunizar a população mais vulnerável e, em seguida, ir reduzindo as idades na campanha.
Ao vacinar a população, diminuímos a incidência de determinada doença. À medida que toda a população vai sendo vacinada, os índices caem até que nenhum caso seja mais registrado, pois toda a população está protegida.
Apesar de parecer, muitas vezes, impossível proteger toda a população, a imunização tem dado resultados no Brasil e no mundo. Em nosso país, já ocorreu a erradicação da poliomielite e da varíola graças à utilização de vacinas. 

Leia Também