Logo de aniversário de 60 anos
(11) 4745-6900

Imposto de Renda

17 ABR 2021 - 05h:00
O Imposto de Renda é mensalmente retido no salário ou pago com base em outros rendimentos dos brasileiros. Há ainda uma declaração obrigatória anual, uma forma de a Receita Federal verificar se o cidadão está pagando mais ou menos impostos do que deveria.
Neste ano, por exemplo, a pessoa descreve os ganhos e gastos que obteve em 2020. Quando a Receita detecta que o contribuinte pagou menos impostos do que o estipulado, ele precisa compensar.
Segundo especialistas, o valor é informado assim que a declaração é preenchida. O pagamento pode ser feito por boleto bancário ou débito automático. Em resumo, é por isso que você faz a declaração informando os dados do ano anterior.
De forma simplificada, o que o contribuinte precisa fazer é declarar tudo o que ganhou no ano que passou, desde salários, aposentadoria, rendimentos de aluguel ou investimentos (mais adiante, listamos todos os ganhos que precisam entrar na declaração).
Nesta semana, a subsede da Receita Federal, localizada em Guarulhos, recebeu 47,5% da quantidade de declarações do imposto de renda esperadas.
Os dados foram enviados após solicitação do DS. 
De acordo com o órgão, a expectativa é que neste ano sejam entregues 269.028 declarações de contribuintes das 10 cidades da região. 
Até o fim desta segunda-feira (12), 128.008 declarações foram entregues, entretanto, ainda restam 141.020. 
Apesar da grande quantidade de pessoas que ainda não entregou o documento, a Receita Federal considera que o ritmo da entrega das declarações está ocorrendo dentro do previsto, já que grande parte deixa para preencher e entregar a declaração nos últimos dias.
Neste ano, o órgão teve a iniciativa de adiar o prazo como forma de proteger a população, evitando que sejam formadas aglomerações nas unidades de atendimento e demais estabelecimentos procurados pelos cidadãos para obter documentos ou ajuda profissional. O prazo para entrega do imposto de renda foi prorrogado até 31 de maio. 
As prorrogações foram promovidas como forma de suavizar as dificuldades impostas pelo novo coronavírus. A medida visa proteger a sociedade, evitando que sejam formadas aglomerações nas unidades de atendimento e demais estabelecimentos procurados pelos cidadãos para obter documentos ou ajuda profissional. Assim, a Receita Federal contribui com os esforços do Governo Federal na manutenção do distanciamento social e diminuição da propagação da doença.

Leia Também