Logo de aniversário de 60 anos
(11) 4745-6900

Mais vacinas

15 ABR 2021 - 05h:00
A busca por vacinas se acentua à medida que o número de mortes se mantém em um patamar altamente preocupante.
As cidades da região cobram mais doses. Ontem, o DS trouxe reportagem mostrando que o Ministério Público Federal (MPF) quer informações da Secretaria Estadual de Saúde sobre o envio de vacinas para as cidades do Alto Tietê.
A decisão do MPF foi tomada após as prefeituras acionarem o órgão na semana passada.
Uma medida que busca uma alternativa de conseguir mais vacinas.
O DS mostrou também que um dos problemas apresentados foi a falta de vacinas para imunizar os próprios profissionais de saúde, enquanto que a abertura para a aplicação em novos grupos prioritários da população em geral continua avançando de acordo com as faixas etárias. Segundo o MPF, após ouvir os relatos dos gestores municipais sobre a escassez das doses, o órgão solicitou à Secretaria Estadual de Saúde que tome medidas para que médicos, enfermeiros e auxiliares que atuam na linha de frente tenham efetiva prioridade na vacinação contra a Covid-19.
Além da quantidade insuficiente de imunizantes, os municípios se queixam da dificuldade para a contratação de mais profissionais de saúde e da elevação dos preços de insumos básicos necessários para o tratamento dos pacientes. A demora na liberação de verbas do governo federal para o custeio de leitos é outra reivindicação constante dos prefeitos. 
A falta de vacinas é muito prejudicial porque as cidades são obrigadas a interromper a campanha. 
Milhares de pessoas ficam na fila aguardando, com expectativa, para tomar o imunizante. Por outro lado, há grande preocupação em cumprir o prazo da segunda dose para que a vacina tenha eficácia em que tomou.
Outro assunto trazido na reportagem do DS, na edição de ontem, mostrou outra preocupação: a falta de leitos de UTI.
O MPF lembrou que o Hospital das Clínicas de Suzano inaugurou, na segunda-feira (12), 20 novos leitos de UTI e 10 de enfermaria para o tratamento de pacientes com a Covid-19. 
A criação das vagas é mais um resultado do diálogo que o Ministério Público Federal vem promovendo entre gestores estaduais e municipais do Alto Tietê na busca de soluções para a pandemia.
O MPF lembrou que tem realizado reuniões periódicas para definir saídas conjuntas aos desafios que os municípios do Alto Tietê vêm enfrentando. 
A solidariedade e a harmoniosa conexão entre os mais variados órgãos da Administração Pública revelam-se imprescindíveis neste momento tão delicado e extraordinário da história da humanidade, aponta o órgão federal. 

Leia Também