(11) 4745-6900

Restrições

25 FEV 2021 - 05h:00

As medidas restritivas adotadas ontem pelo Governo do Estado de São Paulo atingem as cidades do Alto Tietê.
São alternativas que buscam reduzir o avanço dos casos da Covid-19.
As restrições na circulação acontecem em horário que praticamente não há pessoas nas ruas: das 23 às 5 horas. No entanto, é importante buscar alternativas para reduzir os casos e, principalmente, o número de mortes.
O DS traz, na edição de hoje, todas as informações sobre as medidas, anunciadas ontem pelo governador João Doria (PSDB).
O número de casos registrados da doença preocupa. Nesta semana, o Estado registrou recorde de internações em UTI. 
Portanto, a partir desta sexta-feira, 26, até 14 de março, no período entre as 23 e 5 horas da madrugada, todo o Estado estará em restrição. As aglomerações seguem proibidas em qualquer horário.
O governo estadual explica que “dado ao fato que se chegou a um recorde de internações por Covid-19, a expressa recomendação do Comitê de Contingência será atendida”.
A média diária de novas internações em UTI é de 1.678 na atual semana epidemiológica, que segue até o sábado, 27. Essa média enfrentou um aumento mais acelerado nos últimos 10 dias, que somou 660 hospitalizações em terapia intensiva a mais nesse período do que no anterior, chegando a 6.657 pacientes internados em leitos de UTI.
É consequência provavelmente das aglomerações que ocorreram há cerca de dez dias (a exemplo do carnaval), mas também pode haver outros fatores, como a circulação de variantes, como a de Manaus, informou o Estado.
As medidas anunciadas devem ser completamentares ao Plano São Paulo, de flexibilização da quarentena e reabertura econômica. 
Hoje, quatro regiões do Estado (Barretos, Araraquara/São Carlos, Bauru e Presidente Prudente) estão na fase vermelha, de maiores restrições, enquanto a capital e o restante da Grande São Paulo estão na amarela.
Em São Paulo, a situação do interior é a que mais preocupa. Algumas cidades, como Araraquara, chegaram a determinar um lockdown para tentar reduzir a transmissão do vírus. São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo, também anunciou na segunda-feira, 23, o toque de recolher entre 22 e 5 horas e adiou a volta às aulas presenciais, que seriam no dia 1º de março.
O Alto Tietê vai seguir as recomendações, uma vez que somente na terça-feira, foram registradas 14 mortes em 24 horas e esses números preocupam.

Leia Também