Logo de aniversário de 60 anos
(11) 4745-6900

Superlotação nos trens

21 ABR 2021 - 05h:00
Os trens lotados trouxeram grande preocupação, sobretudo, por conta do aumento de casos de Covid-19.
As estações de trens, de São Paulo principalmente, estão cheias de passageiros, que reclamam da demora e pedem mais composições nas estações.
O Sindicato dos Ferroviários alertou para o problema sobre os riscos de trabalhadores da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) de contraírem o coronavírus.
Na edição de ontem, o DS trouxe reportagem mostrando que o Sindicato dos Ferroviários da Zona Sorocabana recebeu informação do Estado de que a categoria receberá a vacinação contra a Covid-19 no dia 11 de maio. A vacinação dos ferroviários era uma das reivindicações da entidade que, mesmo assim, mantém a greve para o dia 27 de abril. 
A categoria cobra também da CPTM o pagamento do Programa de Participação dos Resultados (PPR) de 2020. 
O pagamento deveria ter acontecido no dia 31 de março. No total, existe 8.000 funcionários no Estado. 
O governo estadual fez o anúncio nesta terça-feira, em coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do Governo Estadual. 
“Ficou decidido que a categoria receberá a vacina no dia 11 de maio. Todos operadores, do Metrô e da CPTM, receberão os imunizantes”, informou o sindicato. 
A entidade entende que pode haver um colapso ainda maior e vê ferroviários em risco na pandemia, devido ao fato de estarem em contato com a população diariamente. 
Nesta semana todo o Estado de São Paulo entrou na fase emergencial (roxa) da quarentena contra a Covid-19, após duas semanas de fase vermelha. O objetivo é reduzir a circulação de pessoas, as aglomerações e, consequentemente, a transmissão da Covid-19. No entanto, inúmeros são os relatos de ônibus, metrô e trens lotados, tanto nas semanas anteriores, quanto nos dois primeiros dias da nova fase. 
A pandemia do novo coronavírus mudou muita coisa na vida dos paulistanos. Mas o transporte coletivo segue problemático com a superlotação. 
“Todo dia mostra imagens das estações lotadas. O ferroviário está ali, fixo, todos os dias, expostos ao vírus e de suas variantes”, afirma o sindicato. 
O sindicato vinha reivindicando que todos os funcionários do setor sejam imunizados, sem restrições de idade. 
O pleito agora é estender essa vacinação para todos e não apenas para quem está acima dos 47 anos.
Caso a greve seja concretizada, pelo menos 164.539 passageiros do Alto Tietê serão afetados. A região possui 12 estações, sendo que Suzano atende 32.495 passageiros, seguido por Ferraz de Vasconcelos 23.841 e Itaquaquecetuba com 16.926.

Leia Também