(11) 97569-1373

Tarifa congelada

31 DEZ 2020 - 05h:00
Está descartado o aumento da tarifa de ônibus e trens.
Na edição de ontem, o DS trouxe reportagem em que o prefeito de Suzano, Rodrigo Ashiuchi (PL), prometeu congelar o valores.
O governo do Estado também garantiu que não haverá aumento. Considerando a crise econômica e sanitária vivida pelas famílias causada pela pandemia da Covid-19, o Estado e a Prefeitura de São Paulo decidiram que os valores das passagens para Metrô, CPTM e ônibus municipais permanecerão os mesmos, de R$ 4,40.
Mesmo com retração de 60% em média, na Capital, no número de passageiros em todos os modais durante o ano de 2020, a reforma administrativa implementada pelo Governo do Estado com enxugamento da máquina e ajuste fiscal permite o congelamento da tarifa com responsabilidade social e de gestão pública, beneficiando mais de 8 milhões de usuários do transporte público da capital diariamente.
Desde o início da pandemia, a Prefeitura de SP manteve a oferta de ônibus sempre acima da demanda, que caiu 65% em média neste ano. 
Com esforços de gestão, a tarifa não será reajustada para não sobrecarregar a parcela menos favorecida da população.
Em Suzano, o prefeito disse que não vai aumentar a tarifa de ônibus municipais e que o valor do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) não sofrerá “aumento real”, apenas a correção do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) prevista em lei. A declaração foi dada durante o DS Entrevista.
O País passa por um momento crítico de novos casos de Covid-19 e, por isso, o reajuste da tarifa é inviável.
Segundo Ashiuchi, o momento é para “estender a mão” para a população, que vem sofrendo com a crise financeira provocada pela pandemia do novo vírus. 
O prefeito afirmou que, neste período, é normal que as empresas de ônibus apresentem reajuste de tarifa. 
Porém, mesmo se houver aumento nos valores em outras cidades, segundo Ashiuchi, a população de Suzano não vai pagar mais caro.
Além de manter os valores, o chefe do Executivo suzanense disse que pretende implantar um sistema de descontos no IPTU para a população “em 2021 ou 2022”.
É importante que as empresas de ônibus, que também sofrem com a atual situação econômica, entendam o momento de dificuldades, de crise, do número crescente de pessoas desempregadas.
É um momento em que não existe a possibilidade de um reajuste. 

Leia Também