(11) 4745-6900

Uso das tecnologias na pandemia

26 NOV 2021 - 05h:00

Reportagem da Agência Brasil mostra que a pandemia da Covid-19, declarada pela Organização Mundial da Saúde em março de 2020, intensificou o uso de tecnologias digitais no Brasil, passando de 71% dos domicílios com acesso à internet em 2019 para 83% no ano passado, o que corresponde a 61,8 milhões de domicílios com algum tipo de conexão à rede.
Ainda conforme a reportagem, os dados são da Pesquisa sobre o uso das Tecnologias de Informação e Comunicação nos domicílios brasileiros (TIC Domicílios) 2020, divulgada pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), órgão do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br).
Não há dúvida de que nas últimas décadas, houve um grande salto na evolução tecnológica, sendo inclusive difícil a sociedade atual absorver todo o conteúdo que é disponibilizado a cada vez na velocidade maior.
Com o avanço da época atual, a tecnologia está cada vez mais presente na vida moderna.
A tecnologia nas casas possibilita um maior conforto, seja pela presença de computadores, tevês, celulares. A tecnologia nas empresas possibilita um maior crescimento empresarial e aumento da produtividade.
A internet foi uma invenção que iniciou-se em laboratório e permitiu a popularização do conhecimento.
Os especialistas afirmam que a internet e os dispositivos móveis passaram a desempenhar papel central durante a pandemia, possibilitando a continuidade de atividades empresariais com home office, do comércio com as vendas online, prestação de serviços públicos, atividades educacionais com o ensino remoto e de saúde com as teleconsultas. 
Mas é importante também destacar que as desigualdades sociais foram agravadas pelas diferenças no acesso à tecnologia.
As presentes publicações apresentam um cenário atualizado da adoção da internet no Brasil durante a pandemia de Covid-19 e oferece um diagnóstico detalhado dos desafios para o avanço da inclusão digital. 
Ao mesmo tempo, a vida digital permitiu muitas possibilidades, inclusive abrindo fronteiras para uma parcela da sociedade, por um lado. Por outro lado, a diferenças e as dificuldades de acesso se mostraram ainda mais graves, agravando as fraturas sociais e as desigualdades. É preciso diagnóstico para que possamos implementar políticas públicas que venham ao encontro de reduzir essas diferenças.
‘O País passou pela pandemia com um grande aumento de tráfego, principalmente nos pontos de troca de tráfego . 
A migração das atividades de ensino, trabalho, lazer e serviços públicos para o mundo online se refletiu no aumento da conectividade nos domicílios no ano passado.
Esse aumento foi mais expressivo na classe C, onde em 2015 pouco mais da metade dos domicílios contavam com internet, passa dos 90% em 2020. 

Leia Também