(11) 4745-6900

Verbas para combater a Covid-19

23 MAR 2021 - 05h:00
O DS trouxe, na edição de domingo, reportagem mostrado os valores empenhados pelos municípios no combate à Covid-19.
São investimentos na tentativa de conter a pandemia, evitar mais óbitos e garantir atendimento.
O valor empenhado foi divulgado pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE-SP).
O DS mostrou que os valores empenhados com o novo coronavírus no Alto Tietê, nos dois primeiros meses deste ano, chegaram a R$ 33.116.380,00. Deste total, R$ 10.862.980 foram em janeiro e R$ 22.253.400 em fevereiro. A média de custo a cada caso confirmado foi de R$ 881,77 no primeiro mês e R$ 878,58 no segundo. Os dados, referentes a sete cidades da região, são do Painel de Gestão de Enfrentamento da Covid-19 do Tribunal. Em Biritiba Mirim, Poá e Salesópolis os valores não foram divulgados.
Os recursos são importantes também para a abertura de leitos e compra de equipamentos.
Só para se ter uma ideia, a Constituição Federal aponta que todos os brasileiros e brasileiras têm, desde o nascimento, direito aos serviços de saúde gratuitos. O SUS, criado em 1988, é um dos maiores sistemas públicos de saúde do mundo, sendo o único a garantir assistência integral e completamente gratuita. 
Houve ano em que foram realizados mais de 4,1 bilhões de procedimentos ambulatoriais e 1,4 bilhão de consultas médicas no Sistema Único de Saúde.
O Brasil tem hoje, em atividade, cerca de 600 UPAs, que funcionam como prontos-socorros, e cerca de 41 mil UBSs (postos de saúde). O SUS é administrado de forma tripartite, e conta com recursos provenientes dos orçamentos da União, dos estados, do Distrito Federal e dos municípios.
No entanto, com a quantidade de casos de Covid-19 pelo País, a superlotação de leitos é grande.
O painel de investimentos, apresentado pela reportagem do DS, aponta que apenas quatro prefeituras ultrapassaram a casa do milhão em gastos com Covid-19 nos dois primeiros meses de 2021. Entre elas está Arujá, que lidera o ranking com R$ 9.446.230, sendo R$ 486.230 em janeiro e R$ 8,96 milhões em fevereiro. Na cidade, o valor por caso confirmado foi de R$ 125,41 no primeiro mês e R$ 2.132,17 no segundo.
As despesas representam 1,38% e 13,19% da receita do município, respectivamente.
Mogi das Cruzes segue a lista com R$ 8.800.000 em gastos relacionados a Covid-19 até fevereiro. Em cada caso confirmado na cidade o valor investido foi de R$ 2.427,24 em janeiro e R$ 279,39 em fevereiro. 
Reconhecido internacionalmente, o Programa Nacional de Imunização (PNI), responsável por 98% do mercado de vacinas do País, precisa, cada vez mais, ser fortalecido. O Brasil garante à população acesso gratuito a todas as vacinas recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), disponibilizando 17 vacinas para combater mais de 20 doenças, em diversas faixas etárias, na rede pública, faltando apenas uma totalmente nacional contra a Covid-19. 
Os desafios são grandes, mas é necessário continuar concentrando esforços para evitar novos casos.

Leia Também