(11) 4745-6900

Imigração Japonesa

22 JUN 2022 - 05h:00

A semana passada foi marcada pelas comemorações da Imigração Japonesa no Brasil.
Em 18 de junho de 1908, o Kasato Maru, o primeiro navio a trazer imigrantes, chegou em Santos transportando 781 japoneses depois de uma viagem de 52 dias em alto-mar. 
Só para se ter uma ideia, Suzano conta atualmente com cerca de 1,5 mil famílias imigrantes japoneses. Destas, 80% estão localizadas na área Central da cidade. Outras 20%, o que representa aproximadamente 110 famílias, estão espalhadas no Distrito de Palmeiras. A maioria é descendente de familiares que chegaram ao município em 18 de junho de 1908, quando o navio Kasato Maru aportou em São Paulo. 
A colônia japonesa iniciou em Suzano com a vinda de duas famílias nipônicas para cá. Tradicionalmente, a colônia se instalou na área da agricultura e com isso auxiliou a região a ser conhecida como "cinturão verde" de São Paulo. Atualmente, a presença da colônia na agricultura ainda é forte e os templos instalados na cidade são marcos da cultura nipônica em Suzano.
O DS trouxe, na semana passada, quatro páginas especiais contanto um pouco da influência japonesa na cidade.
Dentro das comemorações uma das que marcaram ocorreu na Estação Suzano da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) recebeu, na tarde de sábado (18), uma apresentação de taiko, que são instrumentos tradicionais de percussão promovida pelo grupo Kouran Daiko, da Associação Cultural Suzanense Bunkyo. O evento fazia parte das comemorações de 114 anos da imigração japonesa no Brasil, com a chegada do navio Kasato-Maru com os primeiros 781 imigrantes nipônicos ao País, no Porto de Santos, e chamou a atenção de quem passava pelo local.
No total, 18 integrantes do grupo liderado pela professora Sandra Sakura promoveram a performance. Um dia depois, no domingo (19), o prefeito Rodrigo Ashiuchi e a primeira-dama Larissa Ashiuchi participaram de outra atividade também em alusão aos 114 anos de imigração japonesa no Brasil. Eles estiveram no Templo Honpa Hongwanji, localizado na rua Tiradentes, no centro da cidade. 
A presença da colônia nipo brasileira marcou e marca significativamente a história, costumes, tradições de Suzano e de muitos municípios do Brasil. Essa presença é sentida na agricultura, no perfil das indústrias, no comércio, nas festas, artes, culinária, traços e hábitos da população. No passado, essa presença era mais marcante em comparação aos dias de hoje.
Porém, o presente e futuro são frutos que a cidade suzanense colhe. Entre elas estão a Festa da Dália, fiel à origem, a Festa da Cerejeira e outra dezena de festas organizadas pelo Clube Agrícolas e Associações, que movimentam a cidade com as tradições japonesas.

 

Leia Também