(11) 4745-6900

Polícia

Pai de crianças mortas em incêndio é preso temporariamente

Caso aconteceu na madrugada de quarta-feira (17) em Poá

18 FEV 2021 - 10h:30 Por de Poá
Pai de crianças mortas em incêndio é preso temporariamente Pai de crianças mortas em incêndio é preso temporariamente / Regiane Bento/DS

A Justiça determinou, na noite de quarta-feira (17), a prisão temporária de Ricardo Reis de Faria e Vieira, um dos pais das três crianças mortas em um incêndio dentro em uma casa em Poá. Com a medida, a princípio, ele fica preso por 30 dias. A Polícia Civil segue com as investigações.

De acordo com o delegado titular de Poá, Eliardo Jordão, que cuida do caso, o pedido de prisão foi feito na tarde de quarta-feira, após contradições de Ricardo durante o depoimento. O mandado foi expedido por volta das 22 horas pela juíza Erika Dalaruvera de Moraes Almeida, da 1ª Vara Criminal do Foro de Poá. 

A magistrada afirmou que a prisão foi determinada "diante da existência de fundadas razões de autoria do investigado na prática dos delitos, bem como da materialidade".

Ricardo será encaminhado nesta quinta-feira (18) para o Centro de Detenção Provisória (CDP) de Mogi das Cruzes.

A defesa de Ricardo informou que a determinação da prisão temporária foi precipitada e que está tomando providências para revertê-la.

Contradições

O delegado Eliardo Jordão afirmou que o pedido de prisão foi feito depois das contradições de Ricardo durante depoimento à polícia. "Primeiro ele disse que acordou por conta da fumaça e tentou arrombar a porta e até mesmo a janela para sair, além de falar que as crianças não estavam lá. Mas antes, para um dos policiais que veio pedir ajuda, ele disse que os filhos estavam na casa e que a porta estaria fechada. Outro fato é que o bebê costumava a dormir no quarto do pai. E no dia do incêndio estava no quarto dos irmãos, que estava fechado. Além disso, uma testemunha disse que escutou grito de socorro de uma das crianças", explicou.

O caso

Um incêndio em uma casa resultou na morte de três crianças, na madrugada de quarta-feira (17), em Poá. São elas: Fernanda Verônica Reis de Faria e Vieira, de 14 anos; Gabriel Reis de Faria e Vieira, de 9 anos; além de Lorenzo Reis de Faria e Vieira, de 1 ano e 11 meses. Os irmãos Fernanda e Gabriel foram adotados em 2014, na época, pelo casal homoafetivo Ricardo e Leandro José Reis de Faria e Vieira. Já Lorenzo foi adotado anos depois.

O incêndio aconteceu na casa de Ricardo, que hoje é separado de Leandro. Eles compartilhavam a guarda das crianças. Por volta das 4h30, o Corpo de Bombeiros foi chamado para atender uma ocorrência de incêndio na residência dele, localizada na Rua Fernando Pinheiro Franco, no Centro de Poá. A casa fica próximo da Delegacia de Poá, onde Ricardo correu para pedir ajuda. 

Perícia e reconstituição

Segundo Eliardo Jordão, uma reconstituição do incêndio será realizada na próxima semana. Além disso, afirmou que durante trabalho da perícia foi encontrado um celular no quarto das crianças. "O laudo sai na semana que vem e pode auxiliar nas investigações", finalizou.

 

Leia Também