(11) 4745-6900

Infosiga

Alto Tietê registra 12 acidentes de trânsito com vítimas fatais no primeiro mês deste ano

Destes, seis foram de moto, três de pedestres, um de automóvel, um de bicicleta e outro que não foi divulgado

22 FEV 2021 - 15h:20 Por Lucas Lima - da Região
Alto Tietê registra 12 acidentes de trânsito com vítimas fatais no primeiro mês deste ano Alto Tietê registra 12 acidentes de trânsito com vítimas fatais no primeiro mês deste ano / Arquivo/DS

O Alto Tietê registrou 12 acidentes de trânsito com vítimas fatais em janeiro deste ano. Destes, seis foram de moto, três de pedestres, um de automóvel, um de bicicleta e outro que não foi divulgado. Além disso, 50% dos casos ocorreram em rodovias, 41,67% foram contabilizados em vias municipais e 8,33% não foram identificados. Os dados são do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga).

Líder com quatro acidentes de trânsito com vítimas fatais está Mogi das Cruzes. Deste total, dois foram de moto, um de automóvel e outro de bicicleta. 

Na sequência vem Ferraz de Vasconcelos e Guararema, com dois casos cada cidade. Em Ferraz, um foi de motocicleta e outro de pedestre. Já em Guararema os dois foram de moto.

A lista segue com Arujá, Itaquaquecetuba, Santa Isabel e Suzano. Os quatro municípios registraram um acidente com vítima fatal, no primeiro mês deste ano, cada um. Arujá contabilizou, até o momento, a única morte de acidente de trânsito envolvendo caminhão.  Em Itaquá e Santa Isabel os casos foram mortes de pedestres. Já em Suzano foi registrado como “outros”.

Vítimas e locais

Dos 12 acidentes de trânsito com vítimas fatais na região, 91,67% foram com homens. Por outro lado, apenas 8,33% foram com mulheres. Sobre o tipo de vítima, os dados apontam que 66,67% dos óbitos foram dos condutores, 25% foram com pedestres e 8,33% não foi divulgado. Além disso, em nove dos casos a morte ocorreu no mesmo dia, dois morreram no dia seguinte do acidente e em apenas um caso o óbito foi registrado em até 30 dias.

Em relação ao local de óbito das vítimas, 50% ocorreu no local dos fatos, 41,67% foi no hospital e 8,33% em outros.

Leia Também