(11) 4745-6900

Assistência Social de Mogi presta contas do 2º quadrimestre do ano

Audiência pública foi comandada pelo presidente da Comissão Permanente de Assistência Social

26 NOV 2021 - 23h:30 Por de Mogi
Assistência Social de Mogi prestou contas Assistência Social de Mogi prestou contas / Divulgação/PMMC
A equipe da Secretaria Municipal de Assistência Social de Mogi compareceu à Câmara Municipal na manhã desta sexta-feira (26) para apresentar a prestação de contas referente ao segundo quadrimestre do ano. A audiência pública foi comandada pelo presidente da Comissão Permanente de Assistência Social, Cidadania e Direitos Humanos, que estava acompanhado à mesa pelos vereadores Johnross Jones Lima, Osvaldo Antonio da Silva e pela vereadora Inês Paz.
 
Toda a apresentação de dados foi conduzida pela secretária municipal de Assistência Social, Celeste Gomes, que mostrou um panorama geral da estrutura da Pasta e de seus mais distintos setores. Foram apresentados dados gerais, como por exemplo o número de pessoas atualmente inscritas no Cadastro Único (CadÚnico), com referência no mês de julho. São 49.762 famílias e foi possível detectar um aumento desse número perante o mês de março, de 3,4%.
 
Desse total, 31.307 são consideradas famílias de extrema pobreza, 2.679 se encontram em situação de pobreza e outras 15.744 são famílias com renda que varia de R$ 178,00 per capita até acima de um salário mínimo. Essa subdivisão é uma inovação da atual gestão, feita com o objetivo de atingir maior assertividade em termos de definição de programas e benefícios.
 
Entre os inscritos no CadÚnico, 23.496 famílias são atendidas com o programa Bolsa Família (substituído pelo Auxílio Brasil), 7.167 recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC), 125 são contempladas pelo Ação Jovem e 326 pelo programa Renda Cidadã. Além disso, a secretária Celeste lembrou da concessão do programa Auxílio Emergencial Mogiano, que beneficiou 31.911 famílias de extrema pobreza com três parcelas de R$ 100,00 para cada.
 
No setor de Proteção Social Básica, os dados mostram que, no segundo quadrimestre do ano, a média de atendimentos nas sete unidades do CRAS ficou em 5.084/mês. Já a Central CadÚnico atendeu uma média de 1.005 pessoas/mês. Os 18 núcleos do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos voltado para crianças e adolescentes atendeu 1.729 pessoas no período, enquanto o programa Criança Feliz atendeu 481 pessoas.
 
As três unidades do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos voltadas para adultos com idade de 18 a 59 anos atenderam 187 pessoas, enquanto o programa Acessuas/Conduz atendeu 30. Já os dez núcleos voltados a pessoas idosas atenderam 294 pessoas e outras 67 foram atendidas pelo Serviço de Proteção Social Básica no Domicílio.
 
A secretária Celeste lembrou, diante no aumento da demanda por cadastro e atualizações de dados no CadÚnico, a Central operou com mutirões de atendimento aos usuários nos finais de semana. A equipe do programa Criança Feliz também foi ampliada, o que possibilitou somar ao atendimento em territórios como Jundiapeba e na Vila Nova União.

Leia Também