(11) 4745-6900

Região

Casamentos caem na pandemia e mortes crescem, aponta IBGE

Número de cerimônias de casamento caiu 25,1% entre 2019 e 2020

27 NOV 2021 - 22h:10 Por Daniel Marques - da Região
Casamentos caem na pandemia e mortes crescem, aponta IBGE Casamentos caem na pandemia e mortes crescem, aponta IBGE / Isabela Oliveira\DS
As pessoas casaram menos no Alto Tietê em 2020. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apontam impressionante redução de um quarto no número de casamentos entre os anos de 2019 e 2020. 
 
Para ser mais preciso, a redução foi de 25,1%, caindo de 10.528 casórios para 7.819 no período.
A pandemia de Covid-19 teve relação direta com os números. Iniciado em março de 2020, o período de intensas restrições do Plano São Paulo fez com que muitas pessoas desistissem de juntar as alianças durante boa parte do ano passado. Os casórios passaram a ser permitidos apenas no dia 17 de agosto de 2020 pelo governo do Estado – momento em que houve significativa redução nos números de mortes e casos.
 
Mesmo assim, muita gente largou a vida de solteiro no ano passado na região. 
 
Mogi teve mais pessoas que casaram: pouco mais de 2,3 mil cerimônias. Itaquá, com 1,5 mil, e Suzano, com 1,4 mil, também quebraram a barreira dos mil casamentos.
Os casamentos homossexuais caíram na região. 
 
Em 2019, 106 cerimônias envolvendo duas pessoas do sexo masculino ou duas do sexo feminino aconteceram no Alto Tietê. No ano passado, esse número foi de 75.
 
Sobre nascimentos, houve redução de 2,6%, passando de 22.237, em 2019, para 21.656 em 2020. No ano passado, Mogi registrou o maior número de partos com crianças nascidas vivas na região: 6,1 mil. Itaquá vem em segunda, com 4,7 mil, e Suzano é a terceira, com 4,1 mil.
 
Sobre o número de óbitos gerais na região (incluindo por Covid e qualquer outra causa), foram 11.598 registros no ano passado – 1.880 a menos do que no ano de 2019. 
 
O total de registros em 2020 representa um aumento de 19,3% em mortes no Alto Tietê.
Mogi, com 3,3 mil mortes; Suzano, com 2,19 mil; e Itaquá, com 2,18 mil encabeçam esta lista.
Os dados são das Estatísticas do Registro Civil, que investigam registros de nascimentos, casamentos e óbitos nos cartórios. 

Leia Também