(11) 4745-6900

Defesa de Ricardo Reis entra com HC e alega ‘poucos subsídios para pedido de prisão temporária’

Advogada afirmou que “se basear apenas nas contradições do depoimento não seja suficiente para decretar a prisão temporária”

18 FEV 2021 - 22h:02 Por Fernando Barreto - de Poá
Advogada Ana Verônica da Silva conversou com a reportagem nesta quinta Advogada Ana Verônica da Silva conversou com a reportagem nesta quinta / Reprodução/Redes sociais
A advogada de defesa de Ricardo Reis, Ana Verônica da Silva, afirmou ao DS que entrou com habeas corpus (HC) para revogar a prisão temporária expedida, na última quarta-feira, pela juíza Erika Dalaruvera de Moraes Almeida, da 1ª Vara Criminal do Foro da cidade (veja matéria acima), “por não haver subsídios suficientes no inquérito para sustentar a prisão”.
 
“Dei entrada nesta quinta-feira com um habeas corpus para retirar a prisão temporária expedida. Na opinião da defesa não há subsídios suficientes para sustentar a prisão. Se quer a perícia foi iniciada de fato. Não sabemos a origem do fogo de fato”, alegou a advogada Ana Verônica.
 
A advogada afirmou que “se basear apenas nas contradições do depoimento não seja suficiente para decretar a prisão temporária”.
 
O HC, no entanto, será analisado, possivelmente, nesta sexta-feira (19). Segundo Ana Verônica, o pedido para revogar a decisão já está nas mãos do desembargador. 
 
“O HC já está nas mãos do desembargador. Porém, com a pandemia de Covid-19, os horários de trabalho foram reduzidos, e por isso uma decisão não saiu ainda. Mas esperamos por uma resposta, possivelmente, nesta sexta-feira”.
 
Com a medida, a princípio, ele fica preso por 30 dias. O prazo equivale-se ao tempo de perícia, que deve durar até março.

Leia Também