(11) 4745-6900

Região precisa recuperar 1,5 mil vagas no comércio, diz Sincomércio

Sincomércio estima que região perdeu 6 mil vagas no comércio, das quais 4 mil foram só de vendedores

10 OUT 2021 - 20h:00 Por Daniel Marques - da Região
Presidente do Sincomércio fez avaliação da recuperação de vagas no comércio Presidente do Sincomércio fez avaliação da recuperação de vagas no comércio / Ney Sarmento/PMMC
Falta pouco para o Alto Tietê recuperar as vagas perdidas no comércio varejista durante a pandemia da Covid-19.
 
De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Mogi das Cruzes e Região (Sincomércio), a estimativa é de que, das mais de 4 mil vagas perdidas desde março do ano passado, o Alto Tietê precise recuperar cerca de 1 mil a 1,5 mil.
 
Segundo o presidente do Sincomércio, Valterli Martinez, o número em aberto ainda é alto, mas a evolução na recuperação das vagas tem deixado o sindicato otimista com uma recuperação total até o fim deste ano.
 
“A retomada está ocorrendo bem. Tivemos, em média, 2,5 mil vagas novas no comércio (durante a retomada econômica).
 
Mas mesmo assim, falta um número alto a ser suprido e esperamos que ele seja recuperado até as datas natalinas, para chegarmos ao mesmo patamar que tínhamos entre o Natal de 2019 e meados de fevereiro de 2020”, disse Valterli.
 
Na região, o comércio varejista chegou a perder 6 mil vagas. Delas, o sindicato estima que 4 mil foram só de vendedores de lojas. 
 
O presidente do Sincomércio explicou que a região chegou a ter cerca de 2 mil contratações temporárias por conta do fim de ano, mas essas pessoas não tiveram a continuidade do contrato por conta do novo pico da pandemia ocorrido no início de 2021.
 
As contratações começaram a ser feitas “para valer” a partir de abril e maio, de acordo com Valterli. 
 
“Na nossa visão, trata-se de uma retomada de empregos. De recuperação de empregos. Chegamos a recuperar mais de 1 mil empregos. Com a mudança definitiva e a retirada das restrições na abertura e fechamento do comércio, houve queda de vendas onlines, mas aumento nas presenciais”, explicou.
 
“Vimos que foram admitidos mais de 1 mil funcionários. Mesmo assim, estamos com redução de mais de 1,5 mil vagas para comércio. Queremos muito chegar ao patamar de fevereiro de 2020 até o Natal deste ano”, reforçou o presidente.

Leia Também