(11) 4745-6900

Saúde de Poá cancela horas extras por economia de R$ 500 mil por mês

Ao todo 95 profissionais serão contratados em caráter emergencial para manter a qualidade dos serviços

26 FEV 2021 - 23h:45 Por de Poá
Saúde de Poá cancela horas extras por economia de R$ 500 mil por mês Saúde de Poá cancela horas extras por economia de R$ 500 mil por mês / Rodrigo Nagafuti/Divulgação
A Secretaria de Saúde de Poá, com o objetivo de organizar os serviços no Hospital Municipal Doutor Guido Guida, determinou o cancelamento das horas extras dos servidores do setor e iniciou a contratação emergencial de 95 profissionais. Com a medida, a pasta visa manter a qualidade do atendimento à população, assim como promover economia de aproximadamente R$ 500 mil por mês.
 
Segundo a responsável pela pasta, Claudia Cristina de Deus, a área da Saúde sofre com a falta de recursos, o que implica na necessidade de reduzir gastos, como o alto custo das horas extras dos servidores. “Tivemos que adotar esta medida para buscar a equalização das contas. No mês passado, por exemplo, foi pago em hora extra para os funcionários o valor de R$ 984.357,34. Com a contratação emergencial, teremos um custo de R$ 500.370,40, ou seja, essa medida nos garante uma economia mensal de R$ 483.986,94”, explicou.
 
A medida se fez necessária, de acordo com a secretária, em virtude dos altos valores que poderiam ser investidos em outros setores da pasta, com o objetivo de melhorar o serviço oferecido à população. “Uma ação leva a outra, tivemos que optar pela retirada das horas extras, o que causou problemas no escalonamento do Hospital e do Pronto Atendimento Infantil, na noite desta quinta-feira (25/02), quando tivemos que manter apenas os serviços de urgência e emergência. Além disso, houve a falta de dois médicos neste plantão. Para evitar novos transtornos aos munícipes abrimos essa contratação emergencial que, além de manter os serviços, ainda trará economia para a cidade”, enfatizou Claudia.
 
A contratação dos 95 profissionais em caráter emergencial de três meses, com possibilidade de renovação, visa o preenchimento das vagas de clínico geral, pediatra, enfermeiro, técnico de enfermagem, técnico de farmácia, técnico de raio-x, agente administrativo, e motorista.
 
Desde o início do ano, o governo da prefeita Marcia Bin realiza ações com o objetivo de equilibrar a saúde financeira de Poá. Inclusive, em razão da crise orçamentária, a cidade decretou estado de calamidade pública financeira.
 
Outras medidas tomadas pela gestão a fim de equalizar as contas públicas, foi a devolução de prédios locados, a revisão de contratos, bem como a redução de 20% dos subsídios da chefe do poder Executivo, do vice-prefeito, e dos secretários municipais, além dos vencimentos dos servidores comissionados (nª 7.732/2021).

Leia Também